Magnetoterapia

Magnetoterapia

No organismo dos seres vivos ocorrem inúmeros fenômenos elétricos responsáveis pela manutenção da vida. Sempre que ocorre movimentação de cargas elétricas, há indução de cargas magnéticas, e vive-versa. Na verdade, não existem fenômenos puramente elétricos, sempre são eletromagnéticos. Assim, os processos de digestão e de absorção dos alimentos, da polarização das membranas de células nervosas, para transmitir mensagens, da absorção da energia luminosa pelas células da retina etc., todos são fenômenos eletromagnéticos, sendo assim, não deve causar espanto o fato de sofrerem influência de campos magnéticos.

A magnetoterapia é um sistema de restabelecimento da saúde através da aplicação externa de magnetos no corpo com finalidades terapêuticas.

Atualmente magnetos têm sido utilizados terapeuticamente em dores crônicas e agudas em animais e humanos, e entre os seus efeitos biológicos temos a melhora do fluxo sanguíneo, aumento da taxa de excitação nervosa e de metabolismo intracelular, melhora o sistema osteomuscular, sistema digestivo, nervoso, urinário e respiratório.

Os chineses, devido aos conhecimentos de Acupuntura, desenvolveram a aplicação desses ímãs nos pontos e meridianos, buscando o alívio dos sintomas e o equilíbrio energético do organismo.

A técnica mais utilizada por acupunturistas é a fixação com esparadrapo de disco magnético sobre ponto de Acupuntura, sobre ponto doloroso ou sobre uma lesão. Em traumas recentes e superficiais, os ímãs podem ser deixados por 3 dias a 1 semana. Para lesões crônicas ou profundas, os discos devem ser deixados por períodos maiores ou enquanto houver a lesão. O material do disco pode ser ferrite, ligas de alumínio-níquel-cobalto (Alnico), ou ligas de cobalto e elementos terras-raras.

A Magnetoterapia dá bons resultados em estados dolorosos. Alta eficiência foi encontrada para traumatismos, contusões, distensões, bursites, artrites reumáticas, dores articulares e nevralgias. Melhores resultados se obtêm em dores superficiais e dores do corpo.

Quais os Benefícios da Magnetoterapia? 

A Magnetoterapia tem sido cientificamente comprovada no equilíbrio eletromagnético do nosso corpo e recuperação natural do processo de auto cura do organismo (equilíbrio homeostático). A Magnetoterapia pode ajudar a:

  • Aliviar a dor
  • Reduzir a inflamação
  • Restaurar a energia natural
  • Aumentar a circulação sanguínea
  • Prevenir ou reverter a infecção
  • Promover o processamento metabólico de toxinas
  • Apoiar o processo de cicatrização

Magnetoterapia – Quem não deve usar

Mesmo com tantos benefícios, a magnetoterapia não pode ser utilizada em todos os casos, especialmente devido a todos as alterações que provoca no organismo. Dessa forma, está contraindicada para pacientes com os seguintes casos:

  • Câncer em qualquer parte do corpo;
  • Hipertireoidismo ou funcionamento exagerado das glândulas suprarrenais;
  • Miastenia grave;
  • Hemorragias ativas;
  • Infecções fúngicas ou virais.

Magnetismo e o seu organismo

Como as células do sangue contêm ferro, Tao conseguiu reduzir a viscosidade do sangue em até 30%, submetendo a pessoa a um campo magnético de 1,3 Tesla por cerca de um minuto. O pesquisador e sua equipe testaram diversas amostras de sangue no laboratório da universidade e descobriram que o campo polarizava as células fazendo com que elas se ligassem em pequenas correntes, deixando o movimento do sangue mais linear.

Leia a reportagem completa.

Magnetoterapia